seu e-mail seu número de sócio
Quem são os maiores culpados pelo desmatamento na Amazônia?
Madeireiros
Plantadores de soja
Lula
População
"Um dia, a Terra vai adoecer. Os pássaros cairão do céu, os mares vão escurecer e os peixes aparecerão mortos na correnteza dos rios. Quando esse dia chegar, os índios perderão o seu espírito. Mas vão recuperá-lo para ensinar ao homem branco a reverência pela sagrada terra. Aí, então, todas as raças vão se unir sob o símbolo do arco-íris para terminar com a destruição. Será o tempo dos Guerreiros do Arco-Íris."

Profecia feita há mais de 200 anos por "Olhos de Fogo", uma velha índia Cree.

Esta profecia embalou as longas noites dos fundadores do Greenpeace que navegavam para as Ilhas Aleutas, no Alasca, em 1971, na tentativa de impedir um teste nuclear dos Estados Unidos. Ela não só iria dar nome ao primeiro navio da organização, o Rainbow Warrior, como acabou por batizar os ativistas do Greenpeace - conhecidos em todo o mundo como "Os Guerreiros do Arco-Íris".

Salve as baleias

Em 1975, o Greenpeace iria lançar a campanha que se transformaria num ícone de luta da organização. Ironicamente, as táticas foram inspiradas nas usadas pelos franceses para atrapalhar a ação do "Vega" em Moruroa: o emprego de botes infláveis, chamados de "zodiacs". Há muitos anos havia uma grande preocupação com a caça comercial não controlada às baleias. Várias espécies estavam perigosamente ameaçadas de extinção.

A Comissão Baleeira Internacional Baleeira (IWC - International Whaling Commission), fundada em 1946 para conter a superexploração dos estoques, acabou por ser instrumento dos maiores excessos da história da caça às baleias.

Em 1972, a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente Humano convocou os países envolvidos na questão a adotar uma moratória de dez anos no comércio baleeiro. A determinação foi completamente ignorada. O Greenpeace decidiu comprar briga diretamente com os baleeiros, baseando seus planos de ação nas imagens dos franceses cercando o "Vega" com botes infláveis. A idéia era simples: utilizar zodiacs para bloquear a linha de fogo dos caçadores de baleia. Eles se posicionariam exatamente entre as baleias e os arpões.

O alvo da primeira missão foi uma frota soviética que caçava baleias no Pacífico Norte. Ao encontrar a frota, o barco do Greenpeace - o mesmo "Phyllis Cormack - decidiu enfrentar um navio baleeiro que perseguia três baleias.

Quando um dos zodiacs se colocou na linha de tiro, um arpão passou voando sobre a cabeça dos tripulantes do bote, atingindo o alvo: uma enorme baleia.

A filmagem do arpão sendo disparado tão perto dos militantes do Greenpeace apareceu no noticiário das principais redes de TV mundiais e se tornou a imagem definitiva da campanha. Em 1982, a IWC aprovou moratória por tempo indeterminado na caça comercial de baleias; em 1994, declarou o Oceano Austral um "santuário das baleias."



Política de Privacidade
Política de Representação
 

Copyright © 1998 - 2014 Greenpeace Brasil.
Todos os direitos reservados. All rights reserved.