Decretem emergência climática já!

Escolha um estado e pressione

já assinaram

Decretem emergência climática já!

Não podemos permitir que o poder público se mova somente pela urgência da catástrofe. É nosso dever pressionar os governadores para que coloquem em prática
medidas de adaptação à
emergência climática.

O Brasil tem sido gravemente afetado por eventos extremos, como as chuvas e secas intensas que atingem alguns estados brasileiros


Quem mais sofre são as populações de baixa renda, que vivem em situação de vulnerabilidade por condições precárias de moradia e falta de acesso a direitos fundamentais.

O IPCC aponta que temperaturas extremas podem ser até nove vezes mais frequentes já na próxima década. Ou seja:

Não há nada de “normal” no que estamos vivendo.

Estados mais afetados pelos eventos extremos:

CONTEXTO DOS FENÔMENOS CLIMÁTICOS NOS ESTADOS

Os estados da Bahia, Goiás, Rio de Janeiro e Minas Gerais sofrem com enchentes desde os últimos meses de 2021. Em Minas Gerais, 341 municípios, dos 853, decretaram situação de calamidade ou emergência até o mês de fevereiro. Regiões que tradicionalmente são atingidas pelas secas no estado, como o Vale do Mucuri e o Jequitinhonha, ficaram inundadas.

Conforme se aproximava a virada do ano, as precipitações se intensificaram e castigaram também Maranhão, Pará, Piauí, São Paulo e Tocantins, com um volume excepcionalmente alto e com graves consequências às populações e toda a vida existente.

Enquanto isso, os termômetros no Rio Grande do Sul registraram um calor sem precedentes. As temperaturas chegaram a atingir mais de 43ºC, deixando cerca de 216 municípios sob alerta de perigo.

O governo federal congelou as políticas públicas climáticas enquanto a população sofre as consequências dos eventos extremos que seguem sendo potencializados pela escalada do desmatamento, o maior vilão das emissões de gases de efeito estufa no país.

Neste abaixo-assinado, cobramos dos governadores que decretem Emergência Climática e tomem medidas efetivas para lidar com ela de forma permanente.


Ainda que a responsabilidade das três esferas públicas seja urgente e necessária, o Plano de Adaptação Climática precisa conversar com a dinâmica do território e pensar a solução de acordo com a realidade local.


É URGENTE QUE RUI COSTA (BA), ROMEU ZEMA (MG), HELDER BARBALHO (PA), RONALDO CAIADO (GO), CARLOS BRANDÃO (MA), CLÁUDIO CASTRO (RJ), REGINA SOUSA (PI), RODRIGO GARCIA (SP), RANOLFO VIEIRA JÚNIOR (RS) e WANDERLEI BARBOSA (TO), GOVERNADORES DOS ESTADOS MAIS AFETADOS PELOS EVENTOS EXTREMOS DESENVOLVAM AÇÕES DE ENFRENTAMENTO A ESSA SITUAÇÃO, COMO:

Execução e/ou elaboração do Plano Estadual de Adaptação Climática.

Realização de audiências públicas com as populações mais afetadas por eventos extremos cada vez mais intensos e frequentes como tempestades, inundações, alagamentos, secas e ondas de calor.

Orçamento destinado para perdas e danos materiais das famílias impactadas pelos eventos climáticos extremos.

Mapeamento de áreas de vulnerabilidade e riscos em escala regional.

Criar medidas de controle e fiscalização para zerar o desmatamento local.

Abandonar o uso de combustíveis fósseis e diversificar a matriz elétrica com investimento em energias renováveis a fim de evitarmos apagões e o agravamento da crise.

ASSINE O ABAIXO-ASSINADO E AJUDE A PRESSIONAR OS GOVERNADORES A IMPLEMENTAREM O PLANO DE ADAPTAÇÃO CLIMÁTICA!

  © Greenpeace Brasil - Todos os direitos reservados.   Política de PrivacidadeFotos: Isis Medeiros e Carol Custódio