Proteja os Oceanos

Proteja o lar das tartarugas-marinhas!

Como se já não bastasse os predadores e as dificuldades naturais, as tartarugas hoje enfrentam ameaças que nós humanos causamos, como as mudanças climáticas e a invasão de plásticos nos oceanos. Se nascesse filhote de tartaruga-marinha, você só teria 1 chance em mil de chegar à vida adulta.

Nós temos a chance de melhorar vida delas. Estamos pressionando os líderes do mundo todo para criar um Tratado Global dos Oceanos que abrirá o caminho para a criação de santuários em pelo menos 30% dos mares.

Isso incluiria o chamado Mar dos Sargaços, um lugar no Triângulo das Bermudas, onde nosso navio está agora. Essa região é muito importante para a sobrevivência de muitas tartarugas, e outros seres marinhos.

Uma expedição pelos mares

O Greenpeace está fazendo uma jornada de um ano pelos oceanos. Saímos do Polo Norte em direção ao Polo Sul registrando belezas naturais e também mostrando as ameaças existentes. O Mar dos Sargaços é uma dessas paradas. Vamos mostrar aos governos e empresas que não estamos brincando quando o assunto é proteção dos oceanos e que precisamos agir imediatamente.

Fique do lado de quem defende os oceanos!

Sua assinatura pressionará para a criação do Tratado Global dos Oceanos, o primeiro passo para protegermos 30% dessas águas e garantir seu futuro seguro.
#ProtejaOsOceanos

*todos os campos são obrigatórios

Nossos oceanos estão sob ameaça

Uma aventura do Polo Norte ao Polo Sul para defender nossos oceanos: quer embarcar nessa?

De abril de 2019 a abril de 2020, o Greenpeace fará com seu navio uma grande jornada pelos mares. Navegaremos de polo a polo registrando as belezas naturais que habitam as profundezas do oceanos, mostrando as ameaças e trabalhando para que todo o planeta se una para proteger nosso planeta azul.

Mudanças climáticas, invasão de plásticos, pesca desenfreada, mineração submarina e exploração de petróleo -, como no caso dos Corais da Amazônia aqui no Brasil- , são algumas das ameaças aos nossos oceanos. E elas estão ficando cada dia mais graves.

Nós temos a chance de mudar esse caminho que parece sem volta. Precisamos deixar áreas vulneráveis de nossos mares fora do alcance de atividades econômicas gananciosas.

Nossa expedição vai mostrar para governos e empresas que não estamos brincando quando o assunto é proteção dos oceanos.